DEZEMBRO / 2017 - 19 MILHÕES DE PÁGINAS VISTAS - OBRIGADO PELA COMPANHIA

DEZEMBRO / 2017 - 19 MILHÕES DE PÁGINAS VISTAS - OBRIGADO PELA COMPANHIA
NOSSA DIGITAL É A DEFESA DE QUEM TRABALHA E TRABALHOU !

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

COMBATE À SONEGAÇÃO PARA GARANTIR SALÁRIOS DOS SERVIDORES E OBRIGAÇÕES DOS GOVERNOS

UNIÃO FAZ ACORDO COM STF PARA AGILIZAR COBRANÇAS E EXECUÇÕES


O MINISTRO RICARDO LEWANDOWSKY - PRESIDENTE DO STF - E MINISTROS LEVY (FAZENDA) E BARBOSA (PLANEJAMENTO). UNIÃO PARA RECEBER O TRILHÃO DE REAIS QUE PESSOAS FÍSICAS E JURÍDICAS DEVEM E NÃO PAGAM.

O GOVERNO FEDERAL precisa aumentar sua arrecadação, e nesse momento, sem ser através de elevação de impostos, a opção viável é COBRAR os devedores CONTUMAZES e dívidas que se arrastam ANOS E ANOS. A SONEGAÇÃO, e o devo NÃO NEGO... são responsáveis por TRILHÕES em recursos que deixam de entrar no caixa do governo. Por certo que há quem não consiga, por razões justificáveis honrar seus compromissos, mas, de todo o jeito, o cidadão / contribuinte, correto, acaba pagando a conta dos espertalhões, que são a maioria dos que não pagam.

CONEXÃO SERVIDOR PÚBLICO


O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, e os ministros da Fazenda, Joaquim Levy, e do Planejamento, Nélson Barbosa, reuniram-se nesta quarta-feira (2) para discutir formas de, conjuntamente, acelerar as execuções fiscais. O presidente do STF explicou que objetivo é aumentar a arrecadação de verbas públicas sem a necessidade de majorar alíquotas dos impostos. A estimativa é de que as execuções fiscais, as cobranças compulsórias que são realizadas por meio do Judiciário, somem "uma dezena de bilhão de reais", afirmou o ministro da Fazenda, sendo que o montante total da dívida ativa com o fisco alcança R$ 1 trilhão, conforme destacado pelo ministro do Planejamento.

O Presidente do STF explicou que será montado um grupo de trabalho conjunto para desenvolver a estratégia. Os instrumentos principais são a desburocratização dos executivos fiscais e a utilização de métodos alternativos. A expectativa é de que haja resultados já em 2016.

“É um momento em que o Poder Judiciário colabora com o Poder Executivo no ajuste fiscal neste momento difícil em que estamos vivendo. Pretendemos atacar em várias frentes, desburocratizando a execução fiscal e utilizando novos meios, como a conciliação e a mediação, previstas no novo Código de Processo Civil, e que podem ser utilizadas com os devedores do Fisco”, afirmou.

O presidente do STF explicou que as execuções fiscais nas três esferas de governo são processos lentos, principalmente em razão do grande número de ações tramitando na Justiça. Segundo ele, dos 100 milhões de processos em tramitação atualmente no Brasil, 30% são execuções fiscais.

“Vamos estudar não só alterações legislativas, mas também modificações administrativas para agilizar essa cobrança. Vamos ver onde estão os gargalos e buscar soluções”, informou.

PR/LF
FONTE: Priorização das execuções fiscais pelo Judiciário pode somar R$ 1 trilhão aos cofres públicos
06/12/15 16:29

Fuso horário de verão de Brasília

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO !!!! REDOBREM O CUIDADO COM O QUE ESCREVEM E COM OS TERMOS QUE USAM. O BLOG É LUGAR DE TROCAR OPINIÕES E NÃO DE TROCA DE OFENSAS. Deixe seu comentário na certeza de que sua opinião é muito importante. Ressalvamos o nosso direito de deletar conteúdos debochados, rasteiros, com pregação de ódio, ilegalidades, ofensivos ou injuriosos. A responsabilidade pelo que escreve é do autor do comentário, que poderá ser identificado com ordem judicial pelo IP.

ACERVO SOU SERVIDOR

CONEXÃO NOTÍCIAS

CONEXÃO NOTÍCIAS
O SERVIDOR / TRABALHADOR BEM INFORMADO - CLIQUE NA IMAGEM